“A educação também merece o auxílio emergencial”, diz Sinteac ao governador Gladson Cameli


Compartilhe

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac) se manifestou nesta segunta-feira (26), por meio de perfil pessoal de sua representante, Rosana Nascimento, para cobrar do governador Gladson Cameli (Progressistas) medidas em prol do auxílio emergencial para servidores da educação após deputados estaduais do Acre aprovarem o Projeto de Lei de Auxílio Temporário de Emergência em Saúde (ATS), que beneficia quase cinco mil servidores da saúde e segurança que estão na linha de frente do combate à pandemia de Covid-19

Confira na íntegra a publicação:

“O SINTEAC reconhece e parabeniza o governador e sua equipe no enfrentamento ao covid-19 e de preservar a vida do povo acreano. Parabenizamos também o auxílio concedido aos servidores da Saúde e Segurança, merecido e justo, mas não podemos esquecer que os professores da Educação também, têm feito um grande esforço nesta pandemia com as aulas remotas e as orientações para que os alunos obedeçam o isolamento social.

Os trabalhos dos professores triplicaram, passam a ser dia inteiro, criando as aulas remotas e recebendo trabalhos dos alunos, corrigindo e orientando, isto entrando madrugada a dentro. Não é fácil criar estas aulas e se adaptar ao dia-a-dia, pois precisam criar vários recursos e ainda produzir apostilas para os alunos carentes que não têm acesso à internet.
Estão fazendo muito esforço para que os alunos possam ter proveito e não ter um prejuízo irreversível no ano letivo que ainda não foi definido se estas aulas remotas serão consideradas para o ano letivo.


Mesmo não tendo tido formação para trabalhar no mundo virtual estão fazendo grande esforço para acompanhar e desenvolver seus trabalhos na plataforma criada pela SEE e trabalhar a EAD e muitos não têm os equipamentos e recursos tecnológicos apropriados mas estão trabalhando. Assim como os servidores da Saúde e segurança têm feito esforços em sua área de atuação, os trabalhadores em Educação também. “Antes da pandemia estávamos há dois anos em negociação da data base já definida em um Auxílio Alimentação que não se concluiu com a equipe de negociação do Governo do Estado.


Poderiam também conceder um auxílio nesta pandemia atendendo nossa pauta. Os trabalhadores em Educação têm dificuldades financeiras e as despesas dobraram como a de todos. Aproveitamos a oportunidade para pedir ao governador e Secretário de Educação que reconheçam o grande esforço que os servidores da Educação estão fazendo também e pague o auxílio que estava negociado, pois somos merecedores e é justo recebermos.”

+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira
Close Bitnami banner