DEU RUIM: Bolsonaristas que tentavam convencer a população a não cumprirem decretos são visitados pela polícia


Compartilhe

Três apoiadores do presidente Jair Bolsonaro que pregavam a desobediência aos decretos municipal e estadual em relação as medidas de enfrentamento contra a Covid-19 no município de Acrelândia, interior do Acre, receberam uma visita da Polícia Civil na manhã de quarta-feira (3).

A polícia cumpriu os mandados de busca e apreensão autorizados pela juíza Kamylla Acioli Lins e Silva, da Comarca de Acrelândia, os homens são acusados de usar um programa de rádio e grupos de WhatsApp para tentar convencer a população a descumprir os decretos de segurança em meio à pandemia, alegando que as autoridades locais estavam agindo contra a Constituição Federal.

Os bolsonaristas se aproveitaram da baixa escolaridade de grande parte da população rural de Acrelândia para dizer que elas não precisavam cumprir os decretos, pois estavam resguardadas pelo art. 5º da CF/88 que fala sobre o direito de ir e vir. Os responsáveis são Nésio Mendes de Carvalho, o empresário Luiz Alberto Dalboni Gonzaga e Natalino de Mattos, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Em um trecho da decisão, a magistrada afirma que os representados são suspeitos de envolvimento com prática de crimes graves, podendo vir a causar algum mal maior a saúde pública e a terceiros, que um deles até mesmo passou a proferir ameaças e calúnias contra gestores públicos.

+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira
Close Bitnami banner