Ulysses faz críticas a medidas de isolamento adotadas pelo Estado e pela Prefeitura de Rio Branco

0
126

O comandante-geral da Polícia Militar do Acre, coronel Ulysses Araújo, fez críticas as medidas de distanciamento social adotadas pelo Governo do Estado e pela Prefeitura de Rio Branco.

O coronel disse, em relação a ação policial de apoio aos fiscais municipais realizada na manhã deste sábado (27), no calçadão do centro da capital, que após três meses o discurso permanece o mesmo.

“Passaram-se três meses e o discurso permanece o mesmo. Não sabemos até quando essa situação vai perdurar, todavia essa indefinição está causando instabilidade na sociedade e essa conta não pertence à Polícia Militar, pois nossa corporação não parou um segundo as suas atividades ostensivas e operacionais nas ruas”, afirmou.

Ulysses enfatizou, que não autoriza o uso da força da tropa com os trabalhadores. “O direito à vida está acima de qualquer lei ou decreto”.

“Na condição de Comandante Geral da Polícia Militar do Acre não autorizo o uso da força para constranger ou intimidar trabalhadores e cidadãos de bem, que buscam o seu sustento e da sua família, pois o direito à vida se sobrepõe a qualquer outro direito, lei, decreto ou opinião isolada de qualquer segmento social ou instituição, uma vez que a luta pela sobrevivência é um direito natural e inalienável da pessoa. Para tanto a Polícia Militar deve fazer cumprir as ordens emanadas das autoridades constituídas e eleitas pela população, mas, acima de tudo, está o nosso compromisso de servir, proteger e cuidar da população de bem”, disse o coronel.

Na nota, o comandante-geral reitera o compromisso da Polícia Militar com a sociedade acreana. “A Polícia Militar é solidária a este povo nesse momento tão difícil que todos estamos passando e renova o seu compromisso de servir, proteger e cuidar, assegurando sempre a transparência e seriedade de suas ações”, finaliza.

 

Deixe uma resposta