TROTE CRIMINOSO

VÍDEO: No Acre, “humoristas” fazem trote homofóbico para canal no YouTube e caso gera revolta nas redes sociais


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe

Um vídeo gravado em Rio Branco para o canal no YouTube chamado Submundo Podcast foi responsável por um trote que gerou grande repercussão nas redes sociais na manhã desta sexta-feira (4). Quatro amigos ligam para o digital influencer de Sena Madureira, Lucas Lima, e falam uma sequência de falas de caráter homofóbico, ato considerado crime no Brasil.

O vídeo com quase dois minutos com as cenas do trote foi compartilhado em massa com mensagens de revolta. O podcast, que é apresentado por Pedro Moreira, Geovany Calegario, Maykon Jones e Hudson Magalhães, tenta transmitir humor, mas acabou falhando no filtro das palavras.

Ele começa com um dos “humoristas” fazendo um convite para que aparenta ser uma apresentação ao lado do também digital influencer Pablo Charife, ele afirma que pagaria a passagem e o hotel de Lucas e brincam que não estão querendo ser “preconceituosos” e a condição seria dar um “selinho” em cada um. Na conversa, também é mencionado o pajubá, dialeto da língua portuguesa, que usa expressões de línguas africanas, muito usado pelo chamado povo do santo, praticantes de religiões afro-brasileiras como candomblé, e também pela comunidade LGBT.

Lucas foi vítima de homofobia por canal acreano no YouTube. – Foto/Arquivo pessoal

“Coisa que você sempre faz, como você é homossexual”, diz o apresentador ao falar sobre dar o selinho nos outros participantes. Por fim, o jovem pergunta se pode conversar em um outro momento e o apresentador encerra: “vou anotar na minha agenda que amanhã eu vou conversar com um ‘gayzinho’ chamado Lucas”, e segue com a risada dos demais.

O influencer Pablo Charife, mencionado no vídeo, se pronunciou em seu perfil no Twitter:

Assista:

Segundo consta no YouTube, o canal Submundo Podcast foi fundado no dia 25 de maio de 2021e tem atualmente 81 pessoas inscritas.

Homofobia é crime

O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou na quinta-feira, 13 de junho de 2019, que a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero passe a ser considerada um crime, punido pela Lei de Racismo (7716/89), que hoje prevê crimes de discriminação ou preconceito por “raça, cor, etnia, religião e procedência nacional”.

O racismo é um crime inafiançável e imprescritível segundo o texto constitucional e pode ser punido com um a cinco anos de prisão e, em alguns casos, multa.

Denuncie casos de homofobia, em páginas da internet ou em redes sociais, é necessário que o usuário acesse o portal da Safernet e escolha o motivo da denúncia. Também pode ser feito um Boletim de Ocorrências (BO) em qualquer delegacia de Polícia Civil.

+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira
Close Bitnami banner
Bitnami