ASSALTO NO QUINZE

Baleado durante tentativa de assalto em Rio Branco diz que tiro foi dado por policial: “não pediu nem desculpa”


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe

Uma semana depois de receber alta do hospital, o servidor público José Augusto Vieira, de 57 anos, baleado durante uma tentativa de assalto e sequestro, no último dia 4, no bairro Quinze, em Rio Branco, ainda aguarda para ser ouvido pela polícia.

Vieira recebeu alta médica do pronto-socorro na última sexta-feira (11). Ele ficou uma semana internado, depois de passar por uma cirurgia. O tiro atingiu o intestino e o rim esquerdo, que precisou ser removido. Agora ele afirma que quer justiça pelo que aconteceu.

“Pensou que eu estava armado. Eu falei: ‘cara, ao invés de acertar o bandido, você fez foi me acertar’. E a sorte minha é que bateu na lataria do carro, pegou na maçaneta pra depois me atingir. Se essa bala vem direto? Agora, ele está falando que foi o meliante que atirou em mim. É impossível. Se ele tivesse atirado em mim daquela distância, com a escopeta que estava na mão, era desgraça. E ele estava do lado contrário, a bala não podia ter furado o carro pelo lado que ele estava”, narrou.

O morador estava saindo de casa quando foi abordado por Wivile Ferreira, de 22 anos, que fugiu após cometer um assalto próximo do local. Para tentar escapar, Ferreira tentou tomar o carro do funcionário público e atirou nele.

Um PM à paisana que passava no local viu a ação criminosa e atirou no assaltante. Ferreira foi atingido com um disparo na região pélvica e morreu na sala de trauma do pronto-socorro antes mesmo de ir para centro cirúrgico.

“7h20 da manhã saí pra ir ao supermercado comprar umas coisas que faltavam para fazer o meu almoço. Não andei 10 metros. Ele apontou pra mim a escopeta, bem na minha frente e pediu pra eu descer. Não deu nem tempo, só abri a maçaneta, foi quando o outro carro preto surgiu, e ele disse: ‘me tira daqui'”, relembrou.

Imagens exclusivas obtidas pela Rede Amazônica mostram o momento exato que policial reage e evita que Vieira fosse sequestrado e resultou na morte de do suspeito e da vítima baleada.

Como consequência do tiro, Vieira perdeu um dos rins. Ele afirma que ainda não foi intimado pela polícia para prestar depoimento e que também não foi procurado pelo policial.

“Perdi um rim e passou também pelo intestino e tive que fazer uma raspagem. E a outra consequência que teve é que acho que eu já estava doente e a apendicite já estava estourada e eles aproveitaram e tiraram também. É isso que a gente fica chateado. É que se ele achasse que não teve culpa nenhuma, tem meu filho aqui, o resto da minha família mora toda aqui, chegar e pedir uma desculpa, dizer que foi sem querer, que foi acertar o bandido e me acertou, mas nada disso”, lamentou.

+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Post navigation

Redação

O Correio 68 é um site de notícias fundado em 2020 que tem o compromisso de trazer tudo o que o acreano precisa saber para se manter bem informado.
Close Bitnami banner
Bitnami