GUERRA DOS TRONOS

Veja quem assumiria Rio Branco caso Impeachment de Bocalom seja aprovado


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe

Pela primeira vez em sua história, um prefeito de Rio Branco corre o risco de ser cassado de seu cargo, no caso de Tião Bocalom (Progressistas), o tão temido impeachment por chefes de poderes executivos pode vir antes mesmo do primeiro ano de gestão, o pedido chegou em apenas 8 meses.

Em documento protocolado na Câmara Municipal (CMRB) no dia 23 de agosto, a advogada Joana D’Arc Valente denuncia o prefeito de crime político-administrativo pela exoneração de Corregedora-Geral do Município, Janice Ribeiro Lima, ocorrida no último dia 18.

Janice foi a responsável pela abertura de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) que apurava denúncias de supostos assédios sexuais cometidos pelo secretário de Saúde, Frank Lima, vindo de próprias servidores da Secretaria (Semsa).

>> LEIA TAMBÉM:

O documento protocolado por Joana D’Arc atende a todos os critérios necessários para ser encaminhado ao plenário, segundo a Procuradoria-Geral da Câmara e deve entrar em pauta ainda nesta terça-feira (31).

Joana D’Arc Valente, em entrevista à TV Cultura. Foto/Divulgação

Caso o impeachment seja realmente aprovado e levado adiante, Bocalom e sua vice, Marfisa Galvão (PSD), serão cassados do cargo, uma vez que a Constituição prevê a destituição da chapa, devendo o presidente da Câmara, no caso o vereador N. Lima (Progressistas) assumir o posto por 90 dias, onde deve convocar novas eleições.

As novas eleições só serão convocadas devido Bocalom estar a menos de dois anos no cargo de prefeito.

Para o prefeito

Na visão de Bocalom, ele ignora todas as denúncias apresentadas contra seu secretário de Saúde e acredita que seu pedido de impeachment seja motivado por “politicagem”, em entrevista ao podcast do jornalista Luciano Tavares, nesta segunda-feira (30), ele declarou:

“Aqueles que estão desmamados vão sempre falar em impeachment. Quando alguém falar em impeachment, é porque alguma coisa nele está errada, ele queria alguma coisa e eu não dei. O cidadão que falar em impeachment do Bocalom, pode ter certeza, é porque ele queria alguma coisa errada e eu não aceitei”, disse.

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira
Close Bitnami banner