EXCLUSIVO

Torneio de pôquer em clube acreano atrai jogadores do “esporte da mente”


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe

Concentração, amizade e um grande prêmio a ser disputado, esse é o cenário que pôde ser visto no salão do Vegas Acre Poker Tour (VAPT) neste final de semana durante o torneio do jogo de cartas mais popular do mundo, em Rio Branco.

À frente do evento estava Matheus Lustosa, que fundou o VAPT em 2017 e desde então recebe de 80 a 100 participantes todos os meses movidos pela mesma paixão.

A modalidade usada pelo clube é o Texas Hold ‘Em, surgido nos Estados Unidos no início do século XX, se tornou popular nos cassinos de Las Vegas, que recebe jogadores de todo o mundo. No entanto, a modalidade não é considerada um ‘jogo de azar’, exigindo muita habilidade do jogador, que pode ser aprendida, aperfeiçoada e render muitos lucros.

Um torneio da VAPT, por exemplo, pode chegar a pagar até R$ 50 mil ao vencedor, dependendo do valor total arrecado com as inscrições.

Em entrevista ao Correio 68, Lustosa conta que começou jogando com amigos e se espelhou em clubes de outros estados para fundar a VAPT, que fica localizada no bairro Jardim Tropical, na capital acreana.

Atualmente, o clube é aberto para competições que duram de quinta-feira a domingo, uma vez ao mês. Mas no início, os encontros eram semanais, diminuindo por conta da pandemia de Covid-19.

Como começar a jogar

Lustosa, enfatiza ainda, que o clube é aberto para todos aqueles que queiram procurar. Porém, ainda pouco popular no Acre, para entender melhor como ingressar nesse universo, conversamos com o advogado Felipe Schaffer, que participou do torneio e é o terceiro colocado no ranking anual do clube.

Embora tenha começado a jogar em 2006 no Rio Grande do Sul, Felipe conta que existem diversas plataformas de pôquer disponíveis na internet, onde qualquer um pode se inscrever e aprender a jogar sem gastar dinheiro até adquirir experiência. Vídeos com tutoriais e dicas no YouTube, também pode ser úteis, principalmente para aqueles que pensam em lucrar com o jogo:

“O pôquer é um esporte da mente, assim como o xadrez e há pessoas que fizeram dele sua profissão e ganham muito dinheiro com isso, mas não é o meu caso. A motivação maior vai muito além do prêmio, é um momento de lazer entre amigos. Muitas pessoas acham que um clube de pôquer é o mesmo que um cassino, mas não é.”

Também se engana quem pensa que o torneio é apenas para homens, a jogadora Jade Maia prova o contrário. Para ela, que joga há 5 anos e começou no Acre, no próprio VAPT, hoje ela participa tanto de torneios presenciais como os onlines. Com paixão assumida pelas cartas, Jade também afirma não ter o dinheiro como motivação:

“O importante é o prazer em jogar, até porque a gente não sabe qual será o valor do prêmio até o último dia do torneio, então vamos jogando.

Hold ‘Em

Cada jogador do Texas Hold ‘Em começa recebendo duas cartas, que são chamadas de hole cards, quem as entrega é um dealer, uma espécie de ‘árbitro’ que além de distribuir as cartas, controla as apostas, deixando os jogadores livres para organizarem suas estratégias de jogo. O objetivo, no entanto, é ganhar todas as fichas de apostas dos adversários.

No torneio deste final de semana, o vencedor foi o próprio Matheus Lustosa.

Estima-se que somente no Brasil, os clubes de pôquer movimentam cerca de R$ 900 milhões ao ano, empregam mais de quatro mil pessoas.

 

 

+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira
Close Bitnami banner
Bitnami