SAÚDE E NUTRIÇÃO

Doces ou travessuras? Vamos falar sobre os tipos de açúcares — por Nutricionista Lara Almeida


Utilizado principalmente para adoçar os alimentos, o açúcar é um carboidrato que agrada o paladar de muitos. Porém, como nem tudo são flores, não é segredo que consumi-lo em excesso pode trazer várias complicações à saúde.

O grupo dos açúcares é composto por substâncias que podem estar contidas nos alimentos com nomenclaturas como: xaropes, glucose, glicose, lactose, maltose, frutose etc. Mas, usualmente, chamamos de açúcar a sacarose, que é o “açúcar de mesa”, extraído da cana-de-açúcar e é deste produto que falaremos hoje.

Os principais tipos de açúcares que encontramos nas prateleiras dos supermercados são: o açúcar refinado, açúcar cristal, açúcar demerara e açúcar mascavo. Uma das dúvidas recorrentes é: será que algum deles é melhor do que o outro?

DIFERENÇAS ENTRE OS AÇÚCARES

A diferença entre esses açúcares vem do processo de refinamento, e a regra é básica: quanto mais escuro o açúcar, menos refinado ele é e, consequentemente, menos produto químico foi adicionado nele.

O açúcar refinado e o cristal são os mais branquinhos. Suas composições são basicamente carboidrato. Não possui outros nutrientes.

O açúcar demerara é o intermediário, está entre o açúcar branco e o mascavo. Neste, são preservados alguns nutrientes, porém numa quantidade baixa.

Por passar por menos processos, o açúcar mascavo preserva mais o sabor do melaço da cana e alguns micronutrientes, como ferro, potássio, cálcio e magnésio. A questão é que, para aproveitar esses nutrientes, uma quantidade considerável desse açúcar deve ser consumida, o que não vale a pena, já que os prejuízos à saúde serão muito maiores do que os benefícios. Os micronutrientes presentes nele são encontrados facilmente em outros alimentos.

Além disso, a quantidade de calorias, de carboidratos e o índice glicêmico desses açúcares são praticamente os mesmos. Portanto, para quem tem restrições em relação ao consumo de carboidratos, todos os tipos de açúcares serão igualmente prejudiciais.

Outra opção que existe no mercado é o “açúcar magro”, composto pela mistura de açúcar e adoçante. Observando o rótulo de alguns desses açúcares, conseguimos perceber que a quantidade de carboidratos não diminui de forma tão significativa. Além disso, para atingir o sabor doce desejado, pode ser necessário utilizar uma quantidade maior desse produto, o que não seria interessante. Também é importante verificar o tipo de adoçante que foi adicionado ao produto, mas isso é assunto para outro dia!

QUANTO DE AÇÚCAR CONSUMIR POR DIA?

Vale ressaltar que, o consumo máximo diário pode variar de pessoa para pessoa, porém a Organização Mundial da Saúde (OMS) sugere em torno de 50g de açúcar por dia. Essa quantidade abrange também aqueles açúcares adicionados nos alimentos pela indústria.

E AGORA, QUAL AÇÚCAR ESCOLHER?

A dica que eu dou é: não se importe com os nutrientes do açúcar! Tenha em mente que, independentemente do tipo, o açúcar deve ser consumido com moderação, seja para adoçar seu dia, proporcionar um momento de prazer, ou quando ele não puder ser dispensado. Mas não se engane achando que o seu conteúdo nutricional trará benefícios à sua saúde.

Post navigation

Lara Almeida

Nutricionista, formada pela Universidade Federal do Acre. Atua em hospital, consultório e é professora. Instagram: @almeidalaraa