EM GREVE

Sem acordo com a prefeitura, greve dos médicos continua em Rio Branco e unidades de saúde seguem sem atendimento


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe

A greve dos médicos que prestam serviços à prefeitura de Rio Branco continua pelo segundo dia e as consultas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Referência em Atenção Primária (Uraps) seguem paralisadas.

A paralisação foi deflagrada na segunda-feira (8) e os médicos pedem reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR).

O anúncio havia sido feito ainda no início de outubro, o presidente do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed), Guilherme Pulici, disse na época:

“Até o momento não obtivemos retorno da Prefeitura sobre a negociação, então os médicos decidiram dar um prazo para que os gestores possam ter tempo hábil para iniciar a negociação, avaliar a proposta e apresentar alguma contraproposta”.

Eles exigem a abertura de negociações para a reforma do Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR).

A renovação do PCCR foi uma promessa feita pelo próprio prefeito Tião Bocalom (Progressistas), que se reuniu com os membros Sindmed ainda na campanha eleitoral para dialogar com a classe sobre os problemas da saúde no município.

Sem atualização, os médicos que trabalham para a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) recebem um salário de R$ 1,8 mil, sendo que a remuneração é complementada com gratificações e valores extras.

Prefeitura se manifesta

Em coletiva na manhã desta segunda-feira, o secretário de Gestão Administrativa do Município, Jonathan Santiago, disse que a greve é ilegal e inoportuna:

“Já estamos fazendo esse levantamento, várias secretarias têm requerimentos, não só os médicos, para fazer um estudo técnico para verificar o impacto na folha, não pode ser feito de forma aleatória. Categorias profissionais terão suas promoções no ano que vem, tudo isso tem impacto na folha e o compromisso da gestão é até o final de 2021 é encaminhar à Câmara de Vereadores os reajustes da categoria. Vai ser um reajuste linear atingindo todos os servidores de maneira igualitária. É isso que será feito baseado nos estudos”, garantiu.

Foto: Ana Paula Xavier/Rede Amazônica Acre
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira
Close Bitnami banner