TRISAL DO ACRE

Alda sai em defesa de Sargento Nery e diz que foi assediada e agredida: “meu marido não podia me defender?”


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe

A sargento da Polícia Militar (PM), Alda Radine, usou seu perfil no Instagram para defender seu marido, o também sargento Erisson Nery, após uma confusão na madrugada deste domingo (28) onde ele acabou baleando um estudante de medicina na entrada de um bar, em Brasileia.

Alda começa falando por stories:

“Daí só porque você é mulher, mesmo estando acompanhada, pode levar dedada, murro na cara e nada tem que acontecer com o assediador? As pessoas não sabem de nada e são juízes alheios sem nem ao menos saber o que aconteceu”.

Em seguida, ela defende o marido, afirmando que ele agiu em defesa dela:

“Você conseguiria ver seu parceiro ou parceira, esposo ou esposa, caído no chão sangrando por uma injusta agressão sem defende-lo? Você teria esse sangue de barata?”.

Ainda nos stories, ela mostra algumas fotos que mostram que ela foi agredida e diz:

O casal se tornou famoso por compor o chamado “trisal acreano”, eles estavam no QGIV Gastrobar em Brasileia para acompanhar a final da Taça Libertadores entre Flamengo e Palmeiras quando a confusão começou e terminou com Nery atirando duas vezes contra o rapaz.

Um vídeo mostra ainda que o sargento teria desferido um tapa contra o estudante, mesmo após caído. Segundo áudios divulgados nas redes sociais, a confusão teria iniciado quando o rapaz que foi baleado foi questionado por Alda por estar “encarando” suas demonstrações de afeto com Darlene, que também compõe o trisal, e foi empurrada por ele. Em defesa da esposa, Nery tirou satisfações e a situação saiu do controle.

Leia também:

Post navigation

Redação

O Correio 68 é um site de notícias fundado em 2020 que tem o compromisso de trazer tudo o que o acreano precisa saber para se manter bem informado.
Close Bitnami banner