CORRIDA ELEITORAL

Agentes de Segurança roubam a cena política e Acre pode eleger “bancada da bala” em 2022


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe

De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que compilou relatórios extraídos da Receita Federal, do TSE e do IBGE, policiais e membros das forças armadas, ativos e inativos, totalizavam 5.605.466 pessoas, ou 3,8% do eleitorado nacional em 2018. Esse número, já alto, torna-se maior considerando que esses profissionais são casados, têm filhos e outros parentes, e que o tamanho médio da família brasileira é de 3,3 pessoas. Ou seja, potencialmente, cerca de 18,5 milhões de pessoas estariam diretamente ligadas às famílias policiais e militares.

Não à toa, entre os anos de 2010 e 2020, ao menos 25.452 policiais e membros das Forças Armadas candidataram-se a cargos de natureza eletiva no Brasil, o que corresponde a 1,6% do total de candidaturas do país no mesmo período. Desses, 1.860 se elegeram até 2018.

O Acre, por sua vez, acompanha essa crescente e a julgar pelos nomes que ganharam força no cenário politico, oriundos de praticamente todas as Forças de Segurança do Estado, pode eleger nas eleições deste ano, a popularmente conhecida “bancada da bala”.

Na Polícia Militar, além do já deputado estadual Cadmiel Bomfim, que busca a reeleição, são pré-candidatos ao parlamento federal e estadual respectivamente, o Coronel e ex-comandante Geral, Ulysses Araújo e o Sargento e vice-presidente da Associação dos Militares do Acre (AME), Igor Oliveira.

Igor e Ulysses.

A Polícia Civil aposta na notoriedade e habilidade do atual Diretor de Administração Geral, Rennan Biths, pré-candidato a deputado federal e da delegada Carla Brito, que concorrerá a uma vaga na ALEAC, para garantir o equilíbrio entre as Forças de Segurança Pública, considerando a “rixa” histórica entre a PM e a PC, no que tange à investimentos e atenção estatal.

Rennan e Carla.

Do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), os nomes que disputam a preferência dos policiais penais para a vaga de deputado estadual, são o do Diretor-presidente Arlenilson Cunha, e o do Presidente da Associação dos Servidores do Sistema Penitenciário do Acre (Asspen), Eden Azevedo, que protagonizou as intensas reivindicações de dezembro de 2021, que culminou com a conquista de direitos para a categoria, além da aprovação da Lei Orgânica.

Arlenilson e Eden Azevedo.

O Corpo de Bombeiros Militar do Acre também ensaia sua candidatura, o nome escolhido é o do atual Comandante Geral, coronel Batista, pré-candidato a deputado estadual.

Carlos Batista

Quem também concorrerá na disputa na ALEAC é o Major Mario Lima, juntamente com o coronel Eudemir, que é pré-candidato a deputado federal.

Major Mario é pré-candidato a deputado estadual.

Neste cenário, que reflete apenas as candidaturas mais expressivas, espera-se que entre mortos e feridos, salvem-se aqueles que conquistarem a simpatia das suas respectivas categorias, podendo, portanto, o Acre eleger uma forte “bancada da bala” em 2022.

 

Post navigation

Redação

O Correio 68 é um site de notícias fundado em 2020 que tem o compromisso de trazer tudo o que o acreano precisa saber para se manter bem informado.
Close Bitnami banner