OPINIÃO

Anderson Siqueira — a campanha de trânsito mais criativa dos últimos tempos


Voiced by Amazon Polly
Compartilhe
Foto: Ágatha Lima/Rede Amazônica

Ao passar pela rotatória que divide a Avenida Ceará com a Estrada Dias Martins, em Rio Branco, o clima de tensão tomou conta: dois carros capotados e motos destruídas na rotatória. ‘Que acidente feio’, logo pensei. Mas ao chegar mais próximo, ficou claro que tudo era uma encenação.

A revolta por ter sido “enganado” logo passou após eu perceber que… funcionou. A simulação me deixou realmente com medo de estar no lugar de um daqueles carros, mesmo não tendo o hábito de beber e dirigir. Quem dirá para quem a carapuça servir?

Estava faltando este tipo de propaganda para causar choque. Melhor o choque do que “permitir” que alguém sem algum receio algum ache que pode fazer tudo sem que nada aconteça. Já tive amigos que morreram em acidentes de trânsito, tenho certeza que muitos de vocês também… Alguns deles eu cheguei a alertar sobre a direção imprudente. “Eu sou cuidadoso”, “dirijo melhor depois que bebo umas latinhas”, foi o que na maioria das vezes, ouvi como resposta.

JULGANDO O CERTO

Já que iniciamos a coluna falando de acidentes, circulou nas redes sociais uma imagem do governador Gladson Cameli dando apoio após testemunhar um acidente entre motocicletas na avenida Getúlio Vargas. Claro que choveu comentários de que foi puro oportunismo, “biscoiteiro”, como estão dizendo hoje. Discordo! Apesar de qualquer crítica que se possa ter ao governo Cameli, o que ele fez foi o mínimo que deveria fazer governador. O mínimo. É seu povo! Precisa ser o primeiro a dar exemplo. Se queremos tanto as mudanças na política, por que criticamos o certo? Independente da real intenção, quem tá na cadeira, tem que fazer o certo.

OBSESSÃO

Não existe outra palavra para descrever os atos insanos da prefeitura de Rio Branco ao pintar tudo de azul. Mesmo com um inquérito aberto pelo MPAC para averiguar uma improbidade administrativa – já que a grande maioria duvida de outro motivo a não ser político para ‘azular’ tudo – Bocalom, através da RBTrans decidiu pintar as paradas de ônibus de azul. O detalhe nisso é que a cor era amarela e foi colocada já na gestão Bocalom. O prefeito se invocou contra ele mesmo.

‘ARTISTA NÃO É GENTE’

O prefeito de Capixaba, Manoel Maia, pisou feio na bola… Esqueceu de uma das classes mais prejudicadas na pandemia, a dos artistas. A prefeitura dele recebeu uma verba pela Lei Audir Blanc de R$ 89 mil para aporte financeiro aos artistas da cidade. Acontece que o prefeito simplesmente “esqueceu” de aplicar e perdeu o prazo, como consequência terá que devolver o valor ao Governo Federal. O vereador Chico Gomes ressaltou que o valor que será devolvido é de R$ 92 mil e disse que o prefeito fez uma “poupança” para a União. Que mancada hein Manoel Maia…

 

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira
Close Bitnami banner