TÁ NO CORREIO

O que causa um terremoto? Entenda o fenômeno que aconteceu no Acre


A cantora Claudia Leitte errou ao dizer na música ‘Insolação Do Coração’ que no Brasil não tem terremoto. Talvez não aconteça com frequência, ou como vemos nos filmes, ou mesmo daqueles que acontecem no Japão e deixam a gente preocupados.

Mas a população de Tarauacá, distante pouco mais de 400 km da capital Rio Branco, sentiu um tremor fora do normal por volta das 19h30 desta terça-feira (7/6), o que não sabiam é que a apenas 111 km dali, um terremoto de magnitude 6,5º na escala Ritcher, tinha acontecido. O segundo maior da história do país.

O terremoto é um abalo violento do solo que dura geralmente de 1 a 2 minutos. O chão começa a tremer e dependendo da frequência de vibração pode ficar apenas no tremor, abrir crateras no chão ou até mesmo abalar as estruturas de casas, pontes e prédios.

A forma de medir a força de um terremoto é através da escala Richter, criada nos Estados Unidos e alerta da seguinte forma:

3,5º ou menos: é apenas registrado pelos sismógrafos.
Entre 3,6º e 5,4º: já pode produzir danos.
Entre 5,5º e 6º: provoca danos menores em edifícios bem construídos, mas pode causar maiores danos em outros.

Já os terremotos entre 6,1º e 6,9º, onde o de Tarauacá está incluído, pode ser devastador até uma zona de 100 km. Nesse caso, além de ter havido cidades nesse raio, o terremoto ocorreu a 600 km abaixo da terra, o que minimizou seus impactos na superfície.

Há ainda terremotos entre 7º e 7,9º, que podem causar sérios danos numa grande superfície. Os terremotos acima de oito podem provocar grandes danos em regiões localizadas a várias centenas de quilômetros do epicentro.

Exemplo de danos causados por terremotos

Como ocorre?

A terra é formada por camadas: a hidrosfera (de água), a atmosfera (de gases) e a litosfera (de rochas). A litosfera é a camada mais rígida da terra e divide-se em partes menores chamadas placas tectônicas. Essas placas tectônicas se movimentam lentamente, gerando um processo contínuo de esforço e deformação nas grandes massas da rocha. Quando esse esforço supera o limite de resistência da rocha, faz com que ela se rompa liberando parte da energia acumulada que é liberada sob forma de ondas elásticas, chamadas de ondas sísmicas. Essas ondas podem se espalhar em todas as direções, fazendo a terra vibrar intensamente, ocasionando os terremotos.

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira