TBT DO ACRE

#TBT do Acre: história do quibe de arroz


Todo acreano do ‘pé rachado’ sabe que na terrinha se pode encontrar facilmente três variedades da iguaria chamada ‘quibe’: o feito com arroz, macaxeira e com trigo. Consiste em um bolinho recheado, normalmente com carne moída e frito em óleo quente, da maneira que conhecemos. Mas você sabe como como o quibe chegou até aqui?

A verdade é que o quibe é um daqueles pratos típicos do Oriente Médio com origem milenar, ou seja, muito antiga e historiadores divergem sobre data e a localizada exata, mas sabe-se que foi criado na região onde hoje fica o Líbano, Síria e Iraque. O quibe era feito naquela época apenas com trigo, sendo as variações de arroz e macaxeira exclusivamente acreanas, ele começou como alimento para classes menos favorecidas, que para fazer a carne render, misturavam com o trigo e consumiam cru, cozido ou frito.

O nome vem da palavra árabe kubbeh, que significa “bola”. Agora que você já entendeu como a ideia surgiu lá pelas arábias, vamos entender como ele evoluiu até chegar ao quibe de arroz.

No final do século XIX, o Império Otomano, que deu origem ao que hoje chamamos de Turquia, conquistou boa parte do Oriente Médio e começou a determinar privações religiosas para implantar o islamismo, com isso muitos cristãos na região decidiram emigrar para outros países. Além dos motivos religiosos, estavam também o econômico, já que a área era bem populosa e as terras ficaram escassas. Foi então que em 1878, inspirado por uma visita do Imperador Dom Pedro II ao Oriente Médio e encantado pela ideia de comércio, o primeiro árabe chegou ao Brasil, mais precisamente no Paraná. Após ele, outros 130 mil sírios e libaneses vieram e se espalharam em todo o país até o ano de 1933.

Foi no começo do Século XX que a imigração árabe chegou até o Acre, com a vinda de uma população significativa. Devido a falta de matéria-prima para seguir suas tradições gastronômicas na Amazônia, os árabes começaram a adaptar suas receitas com outros ingredientes que eram mais facilmente encontrados, assim, o quibe tradicional, começou a ser testado com arroz e macaxeira. Presenteando toda a futura população acreana com a iguaria que tanto amamos.

A modificação também foi feita com outros pratos típicos do Oriente Médio, como o charuto, que originalmente é feito com folhas de uva e no Acre ganhou adaptações com couve e repolho.

Você ainda não sabe fazer quibe? Então não perca tempo, nosso chef Johnny Rocha já publicou aqui a receita de como fazer, confira:

*Texto de Anderson Siqueira

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira