ELEIÇÕES 2022

Com rejeição de partidos aliados e do eleitorado, decisão de Márcia Bittar como vice de Gladson pode ser revista


Desde que uma nota foi divulgada em que confirma a escolha do nome de Márcia Bittar (PL) como vice de Gladson Cameli (Progressistas) na disputa pela reeleição, uma onda de repercussão negativa tomou conta da internet, com eleitores declarando que não votarão no governador, caso a chapa se confirme.

Além do eleitorado, partidos como o PDT e o próprio Progressistas se posicionaram contra o anúncio. Márcia como vice, colocou o governador fora da situação favorável que tinha nas pesquisas, nas quais algumas chegaram apontar uma possível vitória em 1º turno.

Aliado do governador, o ex-deputado Luiz Calixto usou as redes sociais para dizer: “vamos manter a calma porque até 5 de agosto muita água ainda passará debaixo da ponte”. Antes, Calixto havia dito que caso Gladson fosse derrotado nas urnas, a culpa seria de Márcio Bittar (UB).

Fontes também informaram que uma pesquisa está sendo encomendada para saber do eleitorado o que de fato pensam sobre o lançamento de Márcia como vice. A ex-esposa de Márcio Bittar vem protagonizando uma série de polêmicas, com falas repletas de acusações sem provas e de pautas ultraconservadoras. Além disso, pesa contra Márcia a inexperiência, uma vez que ela poderia assumir um cargo como o de governadora (em eventuais ausências de Cameli), sem nunca ter exercido um cargo eletivo antes.

 

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira