NA MIRA

Ministério Público apura gastos de mais de R$ 630 mil com shows sertanejos para o ‘Festival do Açaí’


A chamada ‘crise sertaneja’ instaurada de forma involuntária pelo cantor Zé Neto, da dupla com Cristiano, expôs uma série de cachês de alto valor pagos por pequenas prefeituras a cantores de renome nacionais.

No Acre, após investigar os shows de Wesley Safadão e Murilo Huff, em Cruzeiro do Sul; e pedir o cancelamento do show de Thaeme e Thiago, em Tarauacá. O Ministério Público do Acre (MPAC) investiga agora o gasto em R$ 630 mil com os shows de João Bosco e Vinínius; e Tierry, previstos para agosto no ‘Festival de Açaí’, em Feijó.

O festival volta este ano a contar com a presença do público e apresentações musicais entre os dias 12 e 14 de agosto.  O governo do estado anunciou nesta quinta-feira (30) que firmou convênio com a gestão do município para realizar o festival. A Secretaria Estadual de Empreendedorismo e Turismo (Seet) divulgou que a festividade representa uma oportunidade de movimentar a economia com o turismo e geração de empregos.

Devem se apresentar na festividade a dupla João Bosco e Vinícius e os cantores Tierry e Zezo. Conforme apurado pelo MP-AC, o pagamento dos cachês será nos seguintes valores:

  • Dupla João Bosco e Vinícius – R$ 319 mil;
  • Tierry – R$ 215 mil;
  • Zezo – R$ 100 mil;

“Considerando a necessidade de se apurar se há interesse público primário nessas contratações, bem como se foram observados os princípios e regras previstas pela Lei de Licitações e Contratos (Lei nº 8.666/93) e, sobretudo, se a realidade financeira e orçamentária do município comporta essas despesas”, destaca parte da portaria.

O órgão estadual enviou um ofício à Prefeitura de Feijó, solicitando, em um prazo de 24 horas, informações referentes as contratações, fontes utilizadas para os custos, que tipo de contrato será fechado com cada artista, se será contratação direta, dispensa ou inexigibilidade de licitação.

A Prefeitura de Feijó afirmou que já repassou as informações solicitadas pelo MP-AC no procedimento.

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira