ANDERSON SIQUEIRA

Jorge Viana disputa o Senado: esperteza ou covardia?


Uma coisa que não se pode negar em Jorge Viana é que ele tem uma autoestima elevada. Autoestima de quem já esteve no topo, já foi prefeito, governador, senador, fez desconhecidos se elegerem só pela sua palavra, viveu sua era de ouro. O grande problema na autoestima, é que ela se trata de como a pessoa se enxerga, o que muita vezes não reflete a realidade.

É de se ver que o retorno “triunfal” de Jorge Viana não tem surtido o efeito esperado e se falhar este ano, o PT acreano estaria investindo sua última carta forte na mesa. Prova disso é que se antes o partido ditava os rumos de campanhas inteiras, este ano teve que esperar até o último minuto para analisar qual seria o melhor caminho, já que precisa ser certeiro.

Se nas redes sociais o sentimento que tenta ser passado é o de melhor construção para o Acre, as ações mostram que foi optado pelo caminho mais fácil, ainda que Jenilson Leite, do PSB, tenha decidido ir pelo mesmo rumo. No governo, Jorge enfrentaria Gladson Cameli e Petecão, dois algozes do PT nas eleições de 2018: o primeiro derrotou Marcus Alexandre em primeiro turno; o segundo desbancou não só Jorge Viana no Senado como Ney Amorim, que também concorria pelo partido.

O cenário ao Governo foi visto como improvável para Jorge mesmo sendo praticamente dividido entre candidatos de direita. A exceção é Nilson Euclides, do PSOL, que não chegou a pontuar em algumas pesquisas.

Acredita-se que quem viu a ‘era do ouro’ do PT no Acre, dificilmente virá de novo. Além da amarga derrota em 2018, o partido esperou algo com Daniel Zen pela prefeitura de Rio Branco em 2020 e teve que se contentar com o 5º lugar com pouco mais de 7 mil votos (para fins de comparação, Marcus Alexandre foi eleito em 2016 com mais de 104 mil).

A disputa pelo Senado foi justificada em vídeo como um pedido do presidente Lula, que teria dito que precisava de Jorge no Congresso para ajudá-lo a consertar o país, pedido que pelo visto só foi levado em consideração após não restar mais saídas. Se é esperteza, covardia ou um misto dos dois, o fato é que Jorge tomou a decisão mais sábia na opinião deste colunista e não se pode subestimá-lo, independente do PT está em alta ou não, Jorge Viana ainda é um dos nomes mais fortes e temidos da política acreana.

 

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, professor de idiomas e assina o Blog do Siqueira