ELEIÇÕES 2022

Levantamento do Congresso em Foco aponta quem podem ser os 8 novos deputados federais do Acre


Um levantamento realizado pela Queiroz Assessoria e divulgado pelo Congresso em Foco, da UOL, apontou quais são os candidatos mais competitivos ao cargo de deputado federal nos 26 estados do país e no Distrito Federal.

Em relação ao Acre, o levantamento analisou as 140 candidaturas à Câmara dos Deputados para identificar aquelas que sejam mais competitivas e, a partir daí, tentar estimar o tamanho das bancadas partidárias a partir de 2023. Para isso, foram analisados o histórico eleitoral dos partidos e de seus candidatos; pesquisas de intenções de votos; projeções eleitorais realizadas pelos partidos e coligações; estrutura de campanha dos candidatos (financeira, seguidores em redes sociais e nível de conhecimento do eleitorado); e projeções de cálculo do quociente partidário.

A conclusão é de que apenas quatro candidatos seriam reeleitos, são eles: Jéssica Sales (MDB), Perpétua Almeida (PCdoB), Antônia Lúcia (Republicanos) e Leo de Brito (PT). Os dois últimos tomaram posse na Câmara como suplentes: Antônia Lúcia assumiu o lugar de Alan Rick (União Brasil), que se afastou por conta de sua campanha ao Senado; e Leo de Brito assumiu o lugar do pastor Manuel Marcos (Republicanos), que teve o mandato cassado por compra de votos.

As quatro novidades na representação do Acre no Congresso seriam a ex-prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (Progressistas); o vice-governador Major Rocha (MDB), que já foi deputado federal; e os deputados estaduais Gerlen Diniz (Progressistas) e Meire Serafim (União Brasil).

No entanto, é importante ressaltar que a pesquisa não citou apenas esses nomes como possíveis vitórias nessas eleições, sendo os acima apenas os mais prováveis. Ao todo, foram levantados as 22 candidaturas mais competitivas para o dia 2 de outubro. Embora a projeção aponte que os candidatos vencedores possam alternar, apenas os cinco partidos ou coligações citadas acima ocupariam as 8 vagas.

No Progressistas, Socorro Neri aparece como a possível campeã de votos, o que pode beneficiar o partido. A tendência é de que o quociente permita dois deputados representando a sigla e além de Gerlen Diniz, os outros dois nomes com chances reais de disputar as vagas são José Adriano e Zezinho Barbary.

No MDB, onde a tendência também é ter dois representantes, os que tem mais chances são Major Rocha, Jéssica Sales e Flaviano Melo.

A federação PT/PCdoB/PV também deve ter dois representantes, mas nesse caso, as vitórias de Perpétua Almeida e Léo de Brito foram dadas como certas pelo levantamento, que não especulou outros nomes.

As outras duas vagas restantes seriam do Republicanos e do União Brasil, cada um com uma. No Republicanos, a tendência é de que a vaga seja disputada por Antônia Lúcia, Roberto Duarte, Israel Milani e Katianny Araújo. Já no União Brasil, a disputa é entre Meire Serafim, Coronel Ulysses e Eduardo Velloso.

A pesquisa também apontou outras duas siglas que podem ter candidaturas fortes, que devem receber muitos votos, mas podem não conseguir vagas através do quociente partidário. São eles os candidatos do PSDB/Cidadania, Minoru Kinpara, Normando Sales e Sérgio Barros. E o PDT, com Jesus Sérgio, que concorre à reeleição.

Caso queira acompanhar as projeções de votos nos demais estados do Brasil, basta clicar nesse link. Em São Paulo, por exemplo, estado por onde a acreana Marina Silva (Rede) é candidata a deputada federal, a expectativa é que ela ocupe uma das seis vagas projetadas à federação do seu partido com o PSOL, estando atrás somente de Guilherme Boulos.

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, amante de meditação e da boa cozinha. Contato: andersonsiqueira.br@gmail.com