URGENTE

Alexandre de Moraes determina que PM do Acre retire manifestantes em frente do 4º BIS


O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou na noite deste domingo (6) que a Polícia Militar (PM) do Acre retire manifestantes que estão em frente ao 4º Batalhão de Infantaria de Selva (4º BIS). A informação foi dada pelo jornalista Renato Souza, do R7.

O batalhão do Exército recebe manifestantes desde a quarta-feira (2), eles solicitam uma intervenção militar contra a posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ato considerado antidemocrático e criminoso. Além das intensas reclamações de moradores da região, que alegam perturbação do sossego.

Pela determinação, a PM tem poucas horas para a retirada dos manifestantes, os dois organizadores do ato serão multados. Moraes determinou ainda que cada veículo que estiver sendo usado para o bloqueio seja multado em R$ 100 mil. A ordem atende a um pedido do Ministério Público do Acre (MPAC), que alega que a PM está se omitindo a fazer a desobstrução.

Manifestantes não aceitam derrota

Alguns dos apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) acreditam que o presidente possa ter uma “cartada final” que possa comprovar uma fraude nas urnas, hipótese já negada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Aqueles que não creem na fraude, alegam que não aceitarão que um “ex-presidiário” governe o país. Motivo também não aceito pelas autoridades, uma vez que Lula é considerado juridicamente inocente.

O presidente eleito foi preso no dia 7 de abril de 2018, após se entregar à Polícia Federal (PF) no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em São Bernardo do Campo (SP). Lula foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso de um triplex no Guarujá (SP) e foi solto no dia 8 de novembro de 2019, recuperando seus direitos políticos após uma série de vitórias na Justiça, como a anulação de condenações da Lava Jato e a suspeição do ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) — eleito senador pelo Paraná — no caso do triplex. Com as anulações, ele ficou sem nenhuma condenação criminal em qualquer instância da Justiça.

O vice-presidente Hamilton Mourão, eleito senador pelo Rio Grande do Sul, disse na quarta-feira (2) que uma intervenção militar colocaria o Brasil em situação difícil perante a comunidade internacional. Líderes de diversos países como Estados Unidos, Rússia, China, Ucrânia, Canadá, Argentina, França e Inglaterra, já reconheceram a legitimidade do processo eleitoral brasileiro e alguns deles ameaçaram romper relações se houver tentativa de golpe de estado.

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, amante de meditação e da boa cozinha. Contato: andersonsiqueira.br@gmail.com