CONCLUSÃO

Laudo conclui que jovem que morreu em frente a Princesinha ocorreu por problemas cardíacos e não por enforcamento


A morte do jovem Alan da Costa Cordeiro, de 24 anos, que morreu em frente ao restaurante e pizzaria A Princesinha, no Centro de Rio Branco, não foi causada por enforcamento. Pelo menos é que aponta o laudo da perícia.

Em laudo divulgado pela Polícia Civil na última terça-feira, 8, divulgado pelo G1, mostra que não ocorreu por “asfixia mecânica”. O médico legista Ítalo Maia disse que a vítima tinha uma doença cardíaca, que foi associada ao uso de medicamentos e outras substâncias que causam sobrecarga no coração.

“A perícia, por meio de seus vários campos de atuação, tanto na necropsia quanto no instituto de análise forense, chegou à conclusão de que o óbito foi de causa intrínseca à vítima”.

O legista revelou que a carga no coração, ocasionou um infarto no jovem. “Com o uso de medicamentos e substâncias, acabou por causar uma sobrecarga no coração dele e acabou contribuindo para o colapso cardíaco e consequente óbito”.

*As informações são da Folha do Acre

Post navigation

Redação

O Correio 68 é um site de notícias fundado em 2020 que tem o compromisso de trazer tudo o que o acreano precisa saber para se manter bem informado.