SEM CALDINHO NÃO DÁ

“Foi só acabar o caldo que pararam de vir”: bolsonaristas acreanos reclamam de falta de gente nas manifestações


Dizem que festa sem comida não dá gente, mas no Acre, a regra parece também se aplicar aos protestos que tomaram conta do Brasil após a derrota de Jair Bolsonaro (PL) no 2º turno das eleições 2022, no dia 30 de outubro.

Um protesto que estava marcado para a noite desta quarta-feira (16), em frente ao 61º Batalhão de Infantaria de Selva (61 BIS), em Cruzeiro do Sul, acabou não recebendo manifestantes. Segundo conversas vazadas em grupos de WhatsApp que organizam os encontros, onde os integrantes comentavam o ‘fiasco’ da manifestação, um deles afirma: “foi só acabar o caldo, triste ver que o patriotismo de alguns se resumia a isso”.

Abaixo, outro comenta dizendo que “ontem viu que nem todos estavam ali por amor a pátria”. Veja:

 

Post navigation

Redação

O Correio 68 é um site de notícias fundado em 2020 que tem o compromisso de trazer tudo o que o acreano precisa saber para se manter bem informado.