PEDIDO DE AJUDA

Acreana que mora no Pará pede ajuda para reencontrar família que não vê há 55 anos


Família é coisa que a gente nunca esquece, não importa quanto tempo você passar sem vê-los, os laços construídos durante a infância e as memórias acompanham durante toda a vida. Com o passar do tempo, a saudade aperta cada vez mais, pode passar 5 anos, 10, 15 ou 50, como é o caso da dona Josefa Araújo, acreana de Tarauacá que há 55 anos mora em Belém, no Pará e hoje, aos 70 anos de idade, sonha em reencontrar a família que ficou no Acre.

Dona Josefa, ou Zefinha, como era conhecida na cidade, se mudou para o Pará em 1965 para trabalhar, desde então, não retornou a ver sua mãe, Mirtes Ferreira de Araújo e os irmãos: Alcione, Clodoaldo, Raimundo e Antonio. No Pará, a mudança fez com que dona Josefa retirasse uma nova certidão de nascimento, onde passou a se chamar Sheila Araújo.

Dona Josefa, ou Zefinha, como era conhecida no Acre, pede ajuda para reencontrar a família. – Foto/Arquivo pessoal

O passar das cinco décadas também não deixou que ela esquecesse das primas, Irelda e Fátima, todos da família Araújo. A família de dona Josefa procurou a reportagem do Correio 68 na esperança de reencontrar alguns de seus familiares e restabelecer o contato, um sonho antigo que ela tem.

Se você tem alguma pista ou conhece a família com os nomes citados na cidade de Tarauacá, entre em contato com nossa reportagem através do número 68 9 9959-9379. Se você é morador da cidade, pergunte a alguém mais antigo, que possa lembrar da família e corresponder as esperanças de dona Josefa, que aguarda uma resposta diretamente de Belém.

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, amante de meditação e da boa cozinha. Contato: andersonsiqueira.br@gmail.com