CERCO FECHADO

Polícia Federal faz operação em todo o país contra organizadores de atos antidemocráticos; 9 mandados são cumpridos no Acre


A Polícia Federal (PF) iniciou na manhã desta quinta-feira (15) uma megaoperação contra os envolvidos em manifestações desde o resultado das eleições de outubro. As ações são feitas por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes com base na investigação sobre os bloqueios de rodovias.

De acordo com a PF, 81 mandados de busca e apreensão são cumpridos em sete estados e no Distrito Federal. No Acre, 9 mandados são executados em Brasileia, Epitaciolândia e Rio Branco. Outros dois ocorrem em Boca do Acre, que fica no Amazonas. Também foram autorizados bloqueio de contas e quebra do sigilo bancário dos investigados.

Além do Acre, são cumpridos mandados no Distrito Federal, Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Espírito Santo. Nesse último, está confirmado outros 23 mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão, como desdobramento da operação. A PF não divulgou os nomes dos alvos da operação, apenas que são “pessoas físicas e jurídicas identificadas pelas forças federais e locais de Segurança Pública”.

Desde 30 de outubro, data do 2º turno das eleições presidenciais, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) que não aceitam a derrota do mandatário para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fazem atos pelo país, como os bloqueios de rodovias federais, que deixam o Acre isolado do restante do Brasil.

Embora não haja bloqueios em território acreano, um grupo segue acampado em frente ao quartel do 4º Batalhão de Infantaria de Selva (4º BIS), em Rio Branco. Eles pedem uma intervenção militar para impedir a posse de Lula, ato que pode ser considerado crime de incitação à animosidade das Forças Armadas contra as instituições, poderes constituídos e contra a democracia.

Em 17 de novembro, Moraes já havia ordenado o bloqueio de bens de 43 empresas e de pessoas suspeitas de financiar os atos, sendo a maioria de Mato Grosso. Em 7 de dezembro, o ministro multou em R$ 100 mil os proprietários dos caminhões identificados pelas autoridades de Mato Grosso que estariam envolvidos nos atos. Os veículos foram tornados indisponíveis, ou seja, tiveram o bloqueio de documentos e foram proibidos de circular.

Post navigation

Anderson Siqueira

Editor-chefe, escritor, amante de meditação e da boa cozinha. Contato: andersonsiqueira.br@gmail.com